CASTELOEMFOCO
GOVERNO DO ESTADO

Prefeitos do Piauí participarão de encontro com Temer

Os gestores vão solicitar do presidente da República um suporte de recursos semelhante ao que aconteceu nos anos de 2009 e 2013

Por Tarcio Cruz
30/09/2017, às 02:09 - Atualizado em 04/10/2017, às 00:10

Na próxima terça-feira (03/10), prefeitos piauienses terão um encontro com o presidente Michel Temer, em Brasília, para tratar dos repasses dos recursos do Apoio Financeiro aos Municípios (AFM). Capitaneados pela Associação Piauiense de Municípios (APPM), o grupo de gestores vai a capital federal questionar o atual presidente sobre a suspensão dos pagamentos do fundo que já foram repassados em 2009 e 2013. A verba foi instituída pela Lei 12.058, como forma de auxílio aos municípios que sofreram com redução dos recursos oriundos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principalmente da região Nordeste.

O presidente da APPM, Gil Carlos, revelou como será a mobilização e ressaltou os esforços feitos pelos gestores de todo o Estado para manterem as contas equilibradas. 

Prefeito Gil Carlos, presidente da APPM

“Estamos em uma mobilização para conseguirmos uma proposta ao executivo nacional, junto ao presidente Temer, em busca de um auxílio financeiro, fato este, que já aconteceu em 2009 no momento da crise econômica internacional, durante o governo Lula. Na época, ele sensível a causa dos municípios, transferiu um recurso extraordinário para todo o Brasil. O fato se repetiu em 2013 e agora estamos peticionando também esse auxílio aos municípios que vem ajudar neste momento de dificuldades”, afirmou Gil Carlos.

O presidente da Associação de Municípios da Micro-Região do Médio Parnaíba (AMPAR) e prefeito de Demerval Lobão, Júnior Carvalho, também lembrou o período de crise e destacou que os últimos meses foram de dificuldades. 

Júnior Carvalho, prefeito de Demerval Lobão

“Na verdade nos últimos meses de Agosto e Setembro estamos tendo muitas dificuldades. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) teve uma queda brusca, quase 30%, então estamos sentindo muito. Alguns prefeitos estão com folha atrasada. Novos prefeitos, que entraram ano passado e acharam que a gestão seria fácil, estão se complicando. Esperamos que nos próximos meses possamos recuperar economicamente o país”, afirmou.

redes sociais