CASTELOEMFOCO

Piauí deu maioria a Temer. Deputados avaliam os votos

Deputados piauienses respeitaram a autonomia dos parlamentares mas foi ampla a desaprovação quanto a decisão tomada em Brasília

Por Tarcio Cruz
03/08/2017, às 23:08

Os votos da bancada federal do Piauí que ajudaram a barrar o prosseguimento da denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer foi tema de discussão nesta quinta-feira (03/06), na Assembleia Legislativa do Piauí. Deputados piauienses respeitaram a autonomia dos parlamentares, porém foi ampla a desaprovação quanto a decisão tomada em Brasília.

João de Deus (PT) criticou a decisão da Câmara e valorizou a união do Partido dos Trabalhadores que votou unanimemente pelo seguimento das investigações contra Temer. 

Deputado Estadual João de Deus (PT)

“Essa quadrilha que tirou a presidenta Dilma, assaltou o poder e agora usa dinheiro público para se manter na cadeira. O Partido dos Trabalhadores votou em peso pela continuidade. O que não pode é querer acobertar as denúncias. O Presidente vai continuar sangrando. Alguns partidos como o PP e o PSDB preferiram fazer de conta que a corrupção não existe e votaram contra a denúncia” disse João de Deus. 

O petista ainda afirmou que a opção do Partido Progressista não prejudica o relacionamento com o governo na esfera estadual.

Marden Menezes (PSDB) reafirmou a opinião do PSDB do Piauí que é contra a sigla ocupar cargos no governo Temer e lamentou o grande número de dissidentes que não acompanharam a recomendação partidária e votaram a favor de Temer. 

Deputado Marden Menezes (PSDB)

“Defendo que ocupar cargos não é prioridade para o partido e o PSDB não deveria ocupar espaços no atual Governo. A minha posição era idêntica a da liderança da bancada do PSDB. Se eu estivesse em Brasília teria votado pelo prosseguimento das investigações”, afirmou Marden.

O Presidente do PSDB no Piauí também explicitou que o objetivo do partido agora é auxiliar o país na recuperação, dando uma atenção especial às reformas.

Já Gustavo Neiva (PSB) amenizou a infidelidade dos deputados Atila Lira e Heráclito Fortes que votaram contra a instrução do partido que pedia a continuidade da denúncia. 

Deputado Gustavo Neiva (PSB)

“Os deputados do PSB votaram com a sua consciência. Acho que neste momento que vive o país, cada deputado tem que ter a liberdade e o direito de votar conforme sua consciência. Temos que respeitar o posicionamento de cada deputado”, declarou Gustavo. 

redes sociais

notícias mais lidas