CASTELOEMFOCO
CASTELO EM FOCO WEB

Para João Mádison, Themístocles no Senado é "fogo amigo"

No último fim de semana, foi noticiado que a vice de Wellington será Margarete Coelho, Themístocles iria para o senador e Regina Sousa para o TCE

Por Tarcio Cruz
11/06/2018, às 23:06 - Atualizado em 12/06/2018, às 21:06

O Deputado Estadual João Mádison (MDB) negou que houve qualquer conversa do MDB com o Partido dos Trabalhadores para que a participação do partido na chapa majoritária fosse alterada para que Themístocles Filho (MDB) seja candidato a senador. Segundo o parlamentar, o partido nunca conversou sobre o assunto e classificou como “ilusão” a possibilidade. 

De acordo com o deputado, a informação não passa de “fogo amigo” para tentar desestabilizar o entendimento já construído com o governador. No último fim de semana, foi noticiado que o PT já teria decidido que a candidata a vice de Wellington será Margarete Coelho, Themístocles iria para o senador e Regina Sousa para o TCE.

João Mádison revelou ainda que em momento algum a Assembleia foi consultada sobre a saída de algum conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, sendo assim, não existe nenhuma vaga no órgão. 

“Essa chapa com a Margarete de vice e o Themístocles para o senado é uma ilusão, não tem a menor a condição de acontecer, eu até ri disso. Ainda dizer que tem uma vaga para o Tribunal de Contas do Estado, não tem nenhuma vaga para o TCE, vocês são jornalistas e sabem que não tem vaga. A Assembleia aqui é quem aprova, se for sair alguém a Assembleia é que aprova, não existe isso, não tem o menor cabimento e o governador terá o diálogo com os demais partidos para tomar uma decisão ainda esse mês. Esse boato é fogo amigo”, disse o parlamentar.

Deputado Estadual João Mádison

O deputado afirmou ainda que a reunião do Partido dos Trabalhadores não aconteceu e que o partido trabalha somente com a disputa para vice-governador. 

“Esse comentário que saiu no final de semana não tem nenhuma verdade. O PT não se reuniu para discutir isso, quem define isso é o governador. Em primeiro lugar, nós temos um acordo com todos os partidos, menos o PT, que nós precisamos definir primeiro a chapa proporcional, o "chapão", depois nós vamos discutir a majoritária. Vocês todos sabem que o MDB não tem um segundo nome, só temos um nome para a majoritária que é do deputado Themístocles e não é para senador. Se for tem que ser para vice-governador que é pelo que estamos trabalhando”, disse o parlamentar.

João Mádison afirmou também que o prazo para definir a chapa proporcional está acabando para ele. Segundo o parlamentar, os próximos quinze dias serão definitivos. 

“Nossas reivindicações estão todas com o governador, ele tem que vir a público no momento adequado, espero eu que seja neste mês, não pode passar para outro mês, se vai ser chapa proporcional com todos os partidos coligados onde nós temos condições de fazer 24 deputados estaduais e oito federais ou não. Tem muitos partidos esperando essa decisão, nós queremos ficar com o governador, estamos trabalhando para isso, mas vamos ter que tomar essa decisão esse mês porque senão os partidos ficam sem diálogo para as próximas eleições. Confiamos no governador e entregamos a ele a coordenação desse diálogo com os demais partidos", concluiu o deputado estadual. 

redes sociais

notícias mais lidas