CASTELOEMFOCO
GOVERNO DO ESTADO

Fábio Novo defende Margarete e quer a mesma chapa de 2014

O parlamentar reforçou seu posicionamento e expôs que Wellington Dias deve sentar para conversar com todos os partidos nos próximos dias

Por Tarcio Cruz
13/04/2018, às 23:04

Wellington Dias (Governador), Margarete Coelho (Vice-Governadora), Ciro Nogueira (Senador) e a outra vaga para o PTB. Esta é a chapa majoritária ideal para o Deputado Estadual Fábio Novo (PT). O parlamentar defendeu a manutenção da mesma chapa de 2014 quando o Partido dos Trabalhadores se coligou apenas com PROGRESSISTAS, PTB, PR e partidos pequenos. A chapa idealizada por Fábio Novo excluiria MDB, PSD e PDT, partidos que hoje reivindicam cargos na chapa majoritária.

Fábio Novo reforçou seu posicionamento e expôs que Wellington Dias deve sentar para conversar com todos os partidos nos próximos dias. 

Deputado Estadual Fábio Novo

“O governador precisa sentar juntamente com os partidos e tentar encontrar. Tem muita gente desejando ser vice, a escolha do vice tem que ocorrer a partir do governador Wellington Dias. Na minha avaliação ele está com a bola da vez. A minha opinião pessoal, do deputado Fábio Novo, eu já manifestei publicamente, seria manter a mesma chapa. Porém em cada eleição existe composições que precisam ser feitas e arranjos, se perguntassem a minha opinião e ela valesse eu manteria a mesma chapa”, disse o líder do PT na Assembleia.

O ex-secretário de cultura também criticou a prisão do ex-presidente Lula e o comparou com o ex-governador tucano Eduardo Azeredo. 

“O julgamento do presidente Lula foi açodado. Na Lava Jato tem 17 condenados em segunda instância que ainda não foram para a prisão, o caso mais simbólico e emblemático é do ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo, processo que está há onze anos confirmada com a sentença em segunda instância no Tribunal de Justiça de Minas Gerais e ainda assim ele continua em liberdade. Os processos não tiveram o relâmpago que foi em relação ao caso do presidente Lula. O que deixa claro para nós que existia um cronograma montado para tirar o presidente Lula da disputa eleitoral de 2018”, reprovou Fábio Novo. 

redes sociais