CASTELOEMFOCO

Deputado Estadual Edson Ferreira: "o caldeirão da política vai ferver "

O parlamentar criticou a falta de estratégia dos partidos para as chapas proporcionais e aguarda as definições para decidir seu futuro político

Por Tarcio Cruz
18/03/2018, às 19:03 - Atualizado em 19/03/2018, às 23:03

O deputado Edson Ferreira concedeu entrevista com exclusividade ao Portal Douglas Cordeiro e revelou que os próximos 20 dias serão cruciais para a definição do cenário político do Estado. De acordo com o deputado, o “caldeirão vai ferver” nos próximos dias. Preocupado com a possível candidatura de Margarete Coelho para estadual em sua base política, Edson conversa com outros partidos além do PSD. O PR pode ser o caminho do deputado. Edson criticou a falta de estratégia dos partidos para as chapas proporcionais e destacou que apenas o PT teria uma boa estratégia construída.

O parlamentar disse que aguarda as definições para saber como será seu futuro político e revelou que o PSD sentará com o deputado federal Júlio César para definir o destino da sigla.

“Tudo isso está no campo de aguardar para vermos as concretizações. Nosso presidente, Júlio César, está chegando de Brasília e esses 20 dias que faltam realmente são dias que o caldeirão vai ferver. Não só no PSD mas em todos os demais partidos. É um momento de muita definição e nós temos que aguardar para ver como irão ficar os acordos” afirmou. 

Deputado Estadual Edson Ferreira

Apesar das informações de bastidores, Edson descartou que esteja saindo do PSD e indo para o PR. O parlamentar valorizou a estratégia petista. Como o Portal já informou, o PT possuí 25 candidatos para a candidatura estadual e desenvolveu a estratégia nos últimos anos. Segundo Edson, a única saída para as outras siglas seria o “chapão”. 

“Isso é muito relativo, o PSD é um partido grande, tem mais de 20 prefeitos, tem quadros importantes, prefeitos importantes. Na realidade eu acho que o único partido, a meu ver, que tem condições de partir sozinho e está brigando por isso é o Partido dos Trabalhadores, o restante dos partidos está precisando dos outros para formarem uma grande coligação e lançarem um grande número de candidatos”, finalizou. 

redes sociais

notícias mais lidas